Blog EB Treinamentos

ABONO PECUNIÁRIO: COMO CALCULAR?

Você sabe como calcular o abono pecuniário de férias, também conhecido como “venda de férias”? Neste artigo vamos explicar tudo!

O direito a férias é previsto na Constituição Federal, aos trabalhadores urbanos e rurais, e tem como objetivo propiciar um período de descanso e está diretamente ligada a saúde do trabalhador, bem como a aspectos econômicos, culturais, familiares e sociais, após 12 meses de trabalho.

O empregado pode, porém, solicitar a “venda” de uma parte desse período, contudo essa prática tem regras que são fundamentais para que a empresa esteja regular.

O QUE É O ABONO PECUNIÁRIO DE FÉRIAS?

É permitido ao empregado converter 1/3 do período de férias a que tiver direito em abono pecuniário, ou seja, “vender” uma parte do seu descanso. Esta é uma prática muito comum e é um direito do empregado, previsto na CLT.

Art. 143 da CLT: É facultado ao empregado converter 1/3 (um terço) do período de férias a que tiver direito em abono pecuniário, no valor da remuneração que lhe seria devida nos dias correspondentes.

PRAZO PARA REQUERIMENTO

O abono pecuniário deve ser solicitado pelo empregado até 15 dias antes do término do período aquisitivo. Se solicitado dentro desse prazo, a empresa é obrigada a conceder o abono. Caso seja solicitado após o prazo, a concessão ou não do abono pecuniário fica a critério do empregador.

PRAZO PARA PAGAMENTO

O pagamento do abono pecuniário está vinculado à concessão das férias. Trata-se de uma verba acessória, portanto, não existe pagamento de abono pecuniário sem o respectivo gozo das férias. Lembrando que a CLT determina o prazo para pagamento no art. 145:

Art. 145 – O pagamento da remuneração das férias e, se for o caso, o do abono referido no art. 143 serão efetuados até 2 (dois) dias antes do início do respectivo período.

Parágrafo único – O empregado dará quitação do pagamento, com indicação do início e do termo das férias. 

A legislação não prevê, porém, se o abono de férias deve ser concedido antes ou depois do gozo das férias, ficando a critério do empregador decidir. Caso o abono seja concedido após o gozo das férias, o pagamento será 2 dias antes do gozo. Se o abono for concedido antes do gozo das férias, o pagamento das férias e do abono, será 2 dias antes do abono.

DISPENSA DO EMPREGADO DURANTE O PERÍODO DO ABONO

O abono pecuniário é a conversão das férias em dias de prestação de serviços, portanto, o contrato de trabalho vigora normalmente. Sendo assim, o empregador pode dispensar o empregado no período do abono. A empresa, contudo, deve sempre observar restrições na convenção coletiva, se houver a empresa fica impedida de concluir o desligamento.

PROPORCIONALIDADE DO ABONO PECUNIÁRIO EM CASO DE FALTAS

Assim como as férias são devidas de forma proporcional para os empregados que tem mais de 5 faltas no período aquisitivo, o abono pecuniário também é proporcional, conforme tabela abaixo:

ABONO PECUNIÁRIO E FÉRIAS FRACIONADAS

A Reforma Trabalhista permitiu que as férias sejam fracionadas em até 3 períodos, sendo que um deles não pode ser inferior a 14 dias e os demais não podem ser inferiores a 5 dias. Apesar da legislação e da jurisprudência serem omissas nesse sentido, o abono pecuniário de férias também pode ser solicitado nas férias fracionadas, respeitados os períodos mínimos de descanso:

Exemplos de férias fracionadas com abono pecuniário:

Os exemplos acima são ilustrativos. O empregador pode determinar outros períodos de descanso e abono, desde que respeitado o limite mínimo de 14 e 5 dias de descanso, conforme prevê o art. 134 da CLT:

Art. 134:

[…]

1º  Desde que haja concordância do empregado, as férias poderão ser usufruídas em até três períodos, sendo que um deles não poderá ser inferior a quatorze dias corridos e os demais não poderão ser inferiores a cinco dias corridos, cada um.

como calcular o abono pecuniário

Para auxiliar a entender os cálculos, elaboramos alguns exemplos de cálculos:

1. Empregado com 30 dias de férias e salário mensal de R$ 1.045,00:

Cálculo das FÉRIAS:

Base de cálculo Dias de Férias Terço Constitucional Valor das Férias
1.045,00 696,67

(1.045 / 30 x 20)

232,33

(696,67 / 3)

929,00

Cálculo do ABONO PECUNIÁRIO:

Base de cálculo Dias de Abono Terço Constitucional Valor do Abono
1.045,00 348,33

(1.045 / 30 x 10)

116,11

(348,33 / 3)

464,44

Folha de pagamento

Na folha de pagamento o empregado receberá as verbas abaixo, além dos descontos de encargos e outras verbas e descontos que possam haver:

20 dias de férias R$ 696,67
1/3 de férias R$ 232,33
10 dias de abono pecuniário R$ 348,33
1/3 de abono pecuniário R$ 116,11
10 dias de saldo de salário R$ 348,33

2. Empregado com 30 dias de férias, salário mensal de R$ 5.000,00 e médias de comissão no período no valor de R$ 3.200,00:

Cálculo das FÉRIAS:

Base de cálculo Dias de Férias Terço Constitucional Valor das Férias
5.000,00 3.333,33

(5.000 / 30 x 20)

1.111,11

(3.333,33 / 3)

4.444,44
3.200,00 2.133,33

(3.200 / 30 x 20)

711,11

(2.133,33 / 3)

2.844,44

Cálculo do ABONO PECUNIÁRIO:

Base de cálculo Dias de Abono Terço Constitucional Valor do Abono
5.000,00 1.666,67

(5.000 / 30 x 10)

555,55

(1.666,67 / 3)

2.222,22
3.200,00 1.066,67

(3.200 / 30 x 10)

355,55

(1.066,67 / 3)

1.422,22

Folha de pagamento

Na folha de pagamento o empregado receberá as verbas abaixo, além dos descontos de encargos e outras verbas e descontos que possam haver:

20 dias de férias R$ 3.333,33
Médias de comissão sobre férias R$ 2.133,33
1/3 de férias R$ 1.111,11
1/3 de médias de comissão sobre férias R$ 711,11
10 dias de abono pecuniário R$ 1.666,67
Médias de comissão sobre abono pecuniário R$ 1.066,67
1/3 de abono pecuniário R$ 555,55
1/3 de médias de comissão sobre abono pecuniário R$ 355,55
10 dias de saldo de salário R$ 1.666,67

Aproveite e veja esse vídeo no nosso canal do Youtube sobre como calcular férias:

FÉRIAS EM DOBRO

Caso as férias sejam pagas com dobra, o abono pecuniário também terá o valor dobrado, desde que o abono tenha sido solicitado. Ou seja, caso o abono pecuniário seja de 10 dias, o empregado irá receber o equivalente a 20 dias, ainda que trabalhe apenas 10 dias.

FÉRIAS COLETIVAS

Em caso de férias coletivas, o direito ao abono pecuniário não é individual. Neste caso, o abono pecuniário depende de acordo coletivo entre empregador e sindicato e é aplicado a todos os empregados abrangidos pelas férias coletivas.

ENCARGOS DO ABONO PECUNIÁRIO

O abono pecuniário de férias, pago de acordo com o art. 143 da CLT, bem como o concedido em virtude convenção ou acordo coletivo, desde que não excedente a 20 dias, não integram a remuneração do empregado e nem é base de qualquer incidência de contribuição, seja previdenciária, imposto de renda ou FGTS.

E você, sabia das regras para o cálculo do abono pecuniário?

Conhecer a legislação é a forma mais segura de garantir os direitos dos empregados e que os cálculos e as leis sejam respeitadas, evitando custos extras para as empresas. Conheça nosso perfil no Facebook e no Instagram e esteja sempre atualizado.

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on linkedin

Blog EB Treinamentos

Quer ficar por dentro de todas as novidades da EB Treinamentos ?

aahh que pena

Preencha seus dados e nós vamos te avisar quando a próxima turma abrir